A influência da educação comunitária na dinâmica de ocupação urbana para a costa/área litoral em Moçambique

Número

Descargas

Visitas a la página del resumen del artículo:  198  

DOI

https://doi.org/10.25267/Costas.2023.%20v4.i2.0404
PlumX

Autores/as

  • Horácio Luís Respeito (MZ) a:1:{s:5:"es_ES";s:100:"Universidade Eduardo Mondlane - UEM - Escola Superior de Ciências Marinhas e Costeira de Quelimane ";}

Resumen

A educação comunitária é a base primordial para o desenvolvimento sociopolítico e econômico de um país. Por esse motivo, o presente estudo teve como objectivo geral analisar a influência da educação comunitária na dinâmica de ocupação urbana para a costa/área litoral da cidade de Quelimane em Moçambique. De forma especifica, propôs-se identificar a influência da educação humana na dinâmica de ocupação urbana para a costa; apresentar as causas da dinâmica de ocupação urbana e, finalmente, analisar de forma reflexiva as implicações da dinâmica de ocupação urbana. Tratando-se de uma investigação com abordagem qualitativa, esta envolveu 355 participantes. Para a colecta de dados usou-se um inquérito por entrevista. Após a triagem e discussão dos dados, concluiu-se que a educação comunitária é de suma importância porque influência bastante na gestão e preservação do meio ambiente, respeitando, as áreas mais sensíveis e consideradas de risco, para a saúde pública e para recursos naturais constantes. Entretanto, os problemas da dinâmica de ocupação urbana para a costa da cidade de Quelimane decorrem, principalmente pela frágil gestão dos órgãos competentes na intervenção/interação dos problemas candentes para a monitoria e avaliação das áreas de risco. Face a isso, sucedem impactos e dilemas como a poluição do ambiente costeiro e marinho, a falta de saneamento e o surgimento de doenças, a perda de moradias porque a área ocupada é baixa, pantanosa e susceptível a maré, e também, devido a devastação da floresta de mangal causa a degradação da linha da costa.

Palabras clave


Cómo citar

Respeito, H. L. (2023). A influência da educação comunitária na dinâmica de ocupação urbana para a costa/área litoral em Moçambique. Costas, 4(2), 77–94. https://doi.org/10.25267/Costas.2023. v4.i2.0404

Citas

Araújo, M. G. M. (2002). Os Espaços Urbanos em Moçambique. GEOUSP Espaço e Tempo, São Paulo, 14:165- 182.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bassan, D.S. (2021). Educação ambiental. In: Dicionário de desenvolvimento Regional e temas Correlatos (Org. Marcos Paulo Dhein Griebeler), 2ª Ed. rev. e ampl, Uruguaiana, RS: editora Conceito.

Carlomagno, Márcio C. & Rocha, Leonardo C. (2016). Como criar e classificar categorias para fazer análise de conteúdo: uma questão metodológica. Revista Eletrônica de Ciência Política, 7(1).

Conselho Nacional de Meio Ambiente (CNMA). (1994). Programa Nacional de Gestão Ambiental. Maputo, Moçambique.

Dias, J. A.; Polette, M.; Carmo, J. A. (2007). O Desafio da Gestão Costeira Integrada (Prefacio). Revista de Gestão Costeira Integrada. 7(1).

Evaristo, K. K. G. João, C. M. L. (2017). Requalificação Urbana e Novas Centralidades na Cidade de Quelimane, Moçambique. Espaço Aberto, PPGG - UFRJ, Rio de Janeiro, 7(2): 199-212.

Gadotti, M. (2012). Educação popular, educação social, educação comunitária: conceitos e práticas diversas, cimentadas por uma causa comum. Revista diálogos: pesquisa em extensão universitária. IV Congresso Internacional De Pedagogia Social: Domínio Epistemológico. Brasília 18(1): 10-32.

Hoguane, A. M. (2007). Perfil Diagnóstico da Zona Costeira de Moçambique. Revista de Gestão Costeira Integrada, 7(1): 69-82.

Instituto Nacional de Estatística (INE). (1997). II Recenseamento Geral da População e Habitação, Moçambique.

Instituto Nacional de Estatística (INE). (2007). Indicadores socio Demográficos Província da Zambézia, Moçambique.

Instituto Nacional de Estatística (INE). (2013). Estatísticas do Distrito de Cidade de Quelimane, novembro, Moçambique.

Instituto Nacional de Estatística - INE (2019). IV Recenseamento Geral da População e Habitação 2017. Resultados definitivos Moçambique, Maputo – abril

Fernandes, S. B. V & Uhde, L. T. (2021). Ecologia. In: Dicionário de desenvolvimento Regional e temas Correlatos (Org. Marcos Paulo Dhein Griebeler), 2ª Ed. rev. e ampl, Uruguaiana, RS: editora Conceito.

Lakatos, E. M. & Marconi, M. de A. (2003). Fundamentos de Metodologia Cientifica. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Mandamule, U. (2016). Os conflitos sobre a ocupação da Terra em Moçambique. Maputo, 6 de outubro.

Marandola Jr, E.; Marques, C.; Paula, L. T. de; Cassaneli, L. B. (2013). Crescimento urbano e áreas de risco no litoral norte de São Paulo. R. Bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, 30(1): 35-56, jan./jun.

Ministério e Cultura/Instituto Nacional e Desenvolvimento de Educação (MEC/INDE). (2007). Plano Curricular do Ensino Secundário Geral (PCESG) - Documento Orientador, Objectivos, Política, Estrutura, Plano de Estudos e Estratégias de Implementação, Maputo, Moçambique.

Ministério da Administração Estatal e Função Pública (MAEFP). (2020). Diagnóstico integrado de infraestruturas e serviços básicos para os municípios da província de Zambézia – Moçambique.

Ribeiro, E. T. N. (2019). Processo de Urbanização em Moçambique – África. Anais XVIII ENANPUR natal, 27 a 31 de maio. Código verificador: wDCXFv2oQFBQ verificar autenticidade em: http://anpur.org.br/xviiienanpur/anais

Santos, M. C. J. dos; Filho, J. D.; Mendonça, l. C. (s/d). Dinâmica da ocupação urbana no bairro jardins e sua relação com tensores ambientais no manguezal do Tramandaí em aracaju. Geonordeste, ano XXII, n.1.

Santos, M. de M. (2007). “Sumário Executivo” In: Mar e Ambientes Costeiros - Centro de Gestão e Estudos Estratégicos - CGEE, Brasília - DF.

Vale, J. R. B.; Pimentel, M. A. da S.; Uacane, M. S. (2019). Dinâmica da Expansão Urbana na Zona Costeira: Estudo de caso das cidades de Salinópolis (Para-Brasil) e Beira (Sofala- Moçambique). XIII ENANPEGE, A Geografia Brasileira na Ciência- Mundo: produção, Circulação, e apropriação do conhecimento, de 2 a 7 de setembro, São Paulo.