Avaliação Dos Cenários Costeiros em Governador Celso Ramos/ SC - Brasil

Contenido principal del artículo

Bruna Costa
Walter Martin Widmer

Resumen

No Brasil a zona costeira é reconhecida como Patrimônio Nacional, devido a sua riqueza de ecossistemas, recursos naturais
e econômicos, assim como pela sua beleza singular. O reconhecimento das características costeiras é fundamental
para preservar a qualidade desses cenários e auxiliar na alocação mais assertiva dos esforços de gestão costeira. A presente
pesquisa objetivou caracterizar dez praias arenosas situadas no litoral central de Santa Catarina, município de Governador
Celso Ramos - Brasil, avaliando sua variação sazonal entre o inverno e o verão. Foi usado um método de classificação
estética e universal que pode ser aplicado para qualquer praia no mundo, consistindo na avaliação de 26 parâmetros,
tanto naturais quanto antrópicos. Os melhores cenários costeiros (Classe I) foram encontrados em praias pouco frequentadas
e de baixa ocupação urbana, enquanto as áreas mais populosas pontuaram principalmente como Classe III ou IV.
Nenhuma praia foi considerada muito pouco atraente (Classe V) e a classificação das praias não variou sazonalmente.
São discutidas as implicações gerenciais que visem preservar e valorizar esse ativo estético do município, destacamos a
importancia de manter as praias livre de lixo, a realização de atividade de educação ambiental, o planejamento urbano,
sugere-se que em praias “desertas”, invista-se em outros tipos de turismo, diferentemente do tradicional turismo de “Sol
e Praia”, como atividades relacionadas à aventura, conservação ou ecoturismo, a fim de manter seus atrativos naturais,
que são de grande beleza e singularidade.

Palabras clave
Gestão Costeira, Paisagem Litorânea, Praias Arenosas, Turismo,

Métricas alternativas

Detalles del artículo

Cómo citar
Costa, B., & Martin Widmer, W. . (2022). Avaliação Dos Cenários Costeiros em Governador Celso Ramos/ SC - Brasil. Costas, 3(1). Recuperado a partir de https://revistas.uca.es/index.php/costas/article/view/8853
 
Sección
Artículo científico

Citas

Alvares, C. A.; Stape, J. L.; Sentelhas, P. C.; Gonçalves, J. L. M.; Sparovek, G. 2014. Köppen’s climate classification
map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22(6): 711–728, 2014.
Andrade, J.; Scherer, M. E. G. 2014. Decálogo da gestão costeira para Santa Catarina: avaliando a estrutura
estadual para o desenvolvimento do Programa Estadual de Gerenciamento Costeiro. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 29, p. 139–154.
Anfuso, G.; Williams, A. T.; Hernández, C. J. A.; Pranzini, E. 2014. Coastal scenic assessment and tourism management in western Cuba. Tourism Management, 42: 307–320.
Anfuso, G.; Williams, A. T.; Martínez, G. C.; Botero, C.M.; Hernández, C. J. A.; Pranzini, E. 2017. Evaluation of the scenic value of 100 beaches in Cuba: Implications for coastal tourism management. Ocean & Coastal Management, 142: 173–185.
Asensio-Montesinos, F; Anfuso, G; Corbí, H. 2018. Coastal scenery and litter impacts at Alicante (SE Spain): management issues. Journal of Coastal Conservation, 23: 185–201.
Barragán, J. M.; De Andrés, 2015. M. Analysis and trends of the world’s coastal cities and agglomerations. Ocean & Coastal Management, 114: 11–20.
Barattela, G.g.; Longarete, C.; Marenzi, R.c.; Polette, M. 2020. Analysis of Performance of Management Processes in Urban Sand Beaches: Montevideo (De los Pocitos Beach). Revista Costas. v(1): 51-66.
Brasil. Constituição. 1988. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. brasil. 2019a. Ministério do Meio Ambiente. Zona Costeira e Marinha. Disponível em: . Acesso em 17 de out. .
Brasil. 2019b. Ministério do Turismo. Turismo Avança com Certificação Bandeira Azul. Disponível em: < http://www.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/11598-turismo-avan%C3%A7acom-certifica%C3%A7%C3%A3o-bandeiraazul.html> Acesso em out.
Botero, C.; Anfuso, G.; Williams, A. T.; Palacios, A. 2013. Perception of coastal scenery along the Caribbean littoral of Colombia. Journal of Coastal Research, 165: 1733–1738.
Brenuvida, W. W. Para Além Do Crivo: Circulação De Sentidos Na Prática De Mulheres Em Ganchos/SC. 2018. 183 p. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem) - Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça. Claudino, C. A. 2003. O patrimônio público da paisagem litorânea de santa catarina. Estudo de caso: ganchos e as tendências turísticas. 2003. 118 p. Dissertação (Pós-Graduação em Geografia) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Council of Europe Landscape Convention. European Treaty Series - No. 176. 2016. Dísponivel em: https://rm.coe.int/16807b6bc7. Acesso em out 2021.
Corraini, N. R.; De Souza De Lima, A.; Bonetti, J.; Rangel- Buitrago, N. 2018. Troubles in the paradise: Litter and its scenic impact on the North Santa Catarina island beaches, Brazil. Marine Pollution Bulletin, 131: 572–579.
Cristiano, S. C.; Rockebett, G. C.; Anfuso, G.; Gruber, N.s.l.; Williams, A. T. 2016. Evaluation of Coastal Scenery in Urban Beach: Torres, Rio Grande do Sul, Brazil. Revista de Gestão Costeira Integrada, 16(1): 71–78, 2016.
Elnabwy, M. T; Elbeltagi, E; Banna, M. M; Elshikh M.y; Motawa, I; Kaloop, M. R. 2020. An Approach Based on Landsat Images for Shoreline Monitoring to Support Integrated Coastal Management—A Case Study, Ezbet Elborg, Nile Delta, Egypt. International Journal of Geo-Information, 9(4): 01–20.
Ergin, A. 2019. Avaliação do cenário costeiro por meio de uma abordagem de lógica difusa. In: Rangel-Buitrago, N. (eds). Coastal Scenery. vol 26, Cap. 4, p. 67-106.
Ergin, A.; Özölçer, I. H.; Şahin, F. 2010. Evaluating coastal scenery using fuzzy logic: Application at selected sites in Western Black Sea coastal region of Turkey.Ocean Engineering, 37(7): 583–591. Ergin, A.; Williams, A. T. 2006. Micallef, A. Coastal Scenery: Appreciation and Evaluation. Journal of Coastal Research, 224: 958–964.
Felix, A.; Neves, J. Camargo, J. M. 2006. Estudo Granulométrico, Geológico e Evolutivo da Porção Emersa da Planície Costeira Adjacente à Praia dos Ilhéus, Governador Celso Ramos/SC-Brasil. Gravel, n. 5, p. 111–126.
Filho Horn, N. O.; Filho E. P.; Ferreira, E. 2004. Diagnóstico geológico-geomorfológico da planície costeira adjacente à enseada dos Currais, Santa Catarina, Brasil. Gravel. 2: 25–39.
IBGE. 2011. Atlas Geográfico das zonas costeiras e oceânicas do Brasil. Rio de Janeiro. 177 p.
IBGE. 2019. Cidades. Brasil Santa Catarina Governador Celso Ramos. 2018. Dísponivel em:https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/governador-celso-ramos/panorama. Acesso em out 2019.
IBGE. 2021. Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em
1º de julho de 2021. 2021. Dísponivel em: file:///C:/Users/User/Downloads/estimativa_dou_2021.pdf. Acesso em out 2021.
Klein, Y. L.; Osleeb, J. P.;Viola, M. R. 2004. Tourism- Generated Earnings in the Coastal Zone: A Regional Analysis. Journal of Coastal Research, 20(4): 1080–1088.
Kutralam-Muniasamy, G., Pérez-Guevara, F., Shruti, V.C. 2021. (Micro)plastics: A possible criterion for beach certification with a focus on the Blue Flag Award. Science of the Total Environment, 803: 01–08.
Lucrezi, S.; Saayman, M.; Der Merwe, P. M. 2015. Managing beaches and beachgoers: Lessons from and for the Blue Flag award. Tourism Management. 48: 211– 230.
Mascarello, M. A. 2011. Análise do grau de artificialização da orla do municipio de Governador Celso Ramos- SC. 2011. 154 f. Trabalho de Conclusão de Curso
Oceonografia (Graduação em Oceonografia). Universidade do Vale do Itajaí. Itajaí.
Mir-Gual, M.; Pons, G.x.; Martín-Prieto, J.a.; Rodríguez-Perea, A. 2015. A critical view of the Blue Flag beaches in Spain using environmental variables. Ocean & Coastal Management, 105: 106–115.
Oliveira, M. R. L. De; Nicolodi, J. L. 2012. A Gestão Costeira no Brasil e os dez anos do Projeto Orla. Uma análise sob a ótica do poder público. Revista de Gestão Costeira Integrada, 12(1): 91–100.
Rocha, I. Atlas geográfico de Santa Catarina: diversidade e natureza - fascículo 2. 2016.
Rangel-Buitrago, N.; Contreras-López, M.; Martínez, C.; Williams, A. 2018. Can coastal scenery be managed? The Valparaíso region, Chile as a case study. Ocean and Coastal Management, 163: 383–400.
Rangel-Buitrago, N.; Neal, J. W.; Bonetti, J.; Anfuso, G.; Jonge, V. N. 2020. Vulnerability assessments as a tool for the coastal and marine hazards management: An overview. Ocean & Coastal Management, 189.
Rangel-Buitrago, N.; Correa, I. D.; Anfuso, G.; Ergin, A.; Williams, A. T. 2013. Assessing and managing scenery of the Caribbean Coast of Colombia. Tourism Management, 35: 41–58.
Rangel-Buitrago, N.; Williams, A. T.; Ergin, A. Anfuso, G.; Micallef, A.; Pranzini, E. 2019. Coastal Scenery: An Introduction. Coastal Research Library, 26: 01–16.
Rodella, I.; Madau, F. A.; Carboni, D. 2020. The Willingness to Pay for Beach Scenery and Its Preservation in Italy. Sustainability, 12: 01–28, 2020.
Santa Catarina. 2006. Decreto nº 5.010, de 22 de dezembro de 2006. Institui o Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro e estabelece outras providências.
Palácio Barriga Verde. Florianópolis, SC. Santa Catarina. 2010.Secretária do Planejamento. Implantação do Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro: Diagnóstico Sócio Ambiental Setor Litoral Central. Florianópolis, SC. 2010.
Schmuck, A. M.; Lavers, J. L.; Stuckenbrock, S.; Sharp, P. B.; Bond, A. L. Geophysical features influence the accumulation of beach debris on Caribbean islands. Marine Pollution Bulletin, 121(1–2): 45–51.
UN, 2018. UN Annual Report 2018: Engaging People to Protect the Planet. UN, New York.
Williams, A. T. 2011. Definitions and typologies of coastaltourism beach destinations. Disappearing destinations.Climate change and future challenges for coastaltourism. n. December 2010, p. 47– 65.
Williams, A. T.; Khattabi, A. 2015. Beach scenery at NadorProvince, Morocco. Journal of Coastal Conservation,
v. 19(5): 743–755.
Williams, A. T.2012. Micallef, A.; Anfuso, G.; Gallego-Fernandez, J. B. 20125Andalusia, Spain: An Assessment of Coastal Scenery. Landscape Research, 37(3): 327–349.
Williams, A. T.; Rangel-Buitrago, N. G.; Anfuso, G.; Cervantes, O.; Botero, C. M. 2016. Litter impacts on scenery and tourism on the Colombian north Caribbean coast. Tourism Management, 55: 209–224.
Wrege, M. S.; Steinmetz, S.; Reisser Júnior, C.; Almeida, I. R. de; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 2017. Atlas climático da Região Sul do Brasil : Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. p. 333,.