Una trayectoria temática compleja sobre el huerto: los aportes de las hipótesis de transición

DOI

https://doi.org/10.25267/Rev_educ_ambient_sostenibilidad.2021.v3.i2.2101

Información

Fundamentos en EA y S
2101
Publicado: 29-11-2021

Autores/as

  • Carla Sarmento Santos (BR) UFABC, Universidade Federal do ABC/Mestranda no Programa de Pós graduação em Ensino e História das Ciências e da Matemática. Santo André/SP. Brasil.
  • Fernanda Carvalho (BR) UFABC, Universidade Federal do ABC/Doutoranda no Programa de Pós graduação em Ensino e História das Ciências e da Matemática. Santo André/SP. Brasil.
  • Denise Freitas (BR) UFSCar, Universidade Federal de São Carlos/Centro de Educação e Ciências Humanas. São Carlos/SP. Brasil.
  • Giselle Watanabe (BR) UFABC, Universidade Federal do ABC/Centro de Ciências Naturais e Humanas. Santo André/SP. Brasil.

Resumen

Las cuestiones socioambientales se han incorporado al currículo escolar, ya sea por demandas internas o externas de la escuela. Debido a que tienen un carácter complejo y tratan temas cercanos a la realidad, tienen el potencial de contribuir a una educación más crítica. A partir de estos supuestos, y de una trayectoria temática que aborda el huerto, este artículo tiene como objetivo discutir las posibilidades de insertar temas con un carácter más complejo y crítico, guiados por hipótesis de transición. La investigación se llevó a cabo en una escuela pública de São Paulo, Brasil. Metodológicamente, con base en el Análisis Textual Discursivo, se identifican algunas hipótesis de transición en la trayectoria temática que pueden indicar espacios curriculares que promueven un conocimiento escolar más complejo. De los resultados se observa que las hipótesis, por un lado, contribuyen a la proposición de clases más cercanas a los estudiantes; y por otro lado, brindan a los docentes la oportunidad de incluir en sus clases otras estrategias y reflexiones, movilizando conocimientos que contribuyan a la transición del pensamiento simple al más complejo.

Palabras clave: Enseñanza de las ciencias; Complejidad; Hipótesis de transición; Trayectoria temática.

As hipóteses de transição num percurso temático complexificado sobre questões socioambientais: o exemplo da horta escolar

Resumo: As questões socioambientais vêm sendo incorporadas no currículo, seja por demandas internas ou externas à escola. Por ter um caráter complexo e tratar de assuntos próximos da realidade, elas têm potencialidade para contribuir com uma formação mais crítica. Pautado nesses pressupostos, a partir de um percurso temático que trata do tema hortas, este artigo tem como objetivo discutir as possibilidades de inserção de assuntos com caráter mais complexo e crítico, orientados pelas hipóteses de transição. A pesquisa foi realizada em uma escola pública paulista, Brasil. Metodologicamente, pautada na Análise Textual Discursiva, identificam-se no percurso temático algumas hipóteses de transição que podem indicar espaços curriculares que promovam um conhecimento escolar mais complexificado. Dos resultados, notam-se que as hipóteses, por um lado, contribuem para a proposição de aulas mais próximas dos estudantes; e por outro, dá ao docente a oportunidade de incluir em suas aulas outras estratégias e reflexões, mobilizando conhecimentos que contribuem para a transição de um pensamento simples para outro mais complexo.

Palavras chave: Ensino de ciências; Complexidade; Hipóteses de transição; Percurso temático.

Palabras clave


Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Cómo citar

Sarmento Santos, C., Carvalho, F., Freitas, D. ., & Watanabe, G. . (2021). Una trayectoria temática compleja sobre el huerto: los aportes de las hipótesis de transición. Revista De Educación Ambiental Y Sostenibilidad, 3(2), 2101. https://doi.org/10.25267/Rev_educ_ambient_sostenibilidad.2021.v3.i2.2101

Citas

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média. (1997). PCN Ensino Médio: Orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. MEC.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média. (2017). BNCC - Base Nacional Comum Curricular. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. MEC.

Carvalho, F. R. (2016). As Hipóteses de progressão numa progressão numa proposta de aula complexificada sobre o tema aquecimento global. Dissertação de Mestrado do Programa Ensino, História e Filosofia das Ciências e Matemática/ UFABC/ – Universidade Federal do ABC. São Paulo.

Costa, F. M. O., Santos, C. S. & Watanabe, G. (2021). Alguns parâmetros da criticidade e da complexidade em propostas de aulas socioambientais presenciais e remotas. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2021u947971

Freire, P. (1977). Pedagogia do oprimido. Paz e Terra.

García, J. E. (1998). Hacia una teoría alternativa sobre los contenidos escolares. Díada Editora S. L.

García, J. E. (2004). Educación ambiental, constructivismo y complejidad. Série Fundamental, n21. Díada Editora S. L.

García, J. E. (2021). Educación ambiental y Complejidad. Youtube. [Vídeo] SNEF 2021. https://youtu.be/g1xUqX-VqxY

Guimarães, M. (2008). Os caminhos da Educação Ambiental: da forma a ação. Papirus.

Holmgren, D. (2013). Os fundamentos da permacultura. (Tradução de Alexander Van Parys Piergili e Amantino Ramos de Freitas).

Lopes, A. R. C. (1994). O currículo e a construção do conhecimento na escola - controvérsias entre conhecimento comum e conhecimento científico. In Moreira, A. F. B. (org). Conhecimento Educacional e Formação do Professor. (pp. 39-52). Papirus

Loureiro, C. F. B. (2008). Caminhos da educação ambiental: da forma a ação. SP. 3ª edicão.

Mollison, B. & Slay, R. M. (1998). Introdução à Permacultura. (Tradução de André Luis Jaeger Soares). MA/SDR/PNFC.

Moraes, R. & Galiazzi, M. C. (2007). Análise Textual Discursiva. Editora Unijuí.

Morin, E. (2007) Introdução ao pensamento complexo. 3ª ed. Sulina.

Rodríguez-Marín, F. (2021). Ensino de ciências, complexidade e ambiente. Youtube. [Vídeo] SNEF 2021. https://youtu.be/Pt0Lh8psDZM

Rodríguez-Marín, F., Fernández-Arroyo, J., Puig-Gutíerrez, M., & García-Díaz, J.E. (2017). Los Huertos Escolares Ecológicos, Un Camino Decrecentista Hacia Un Mundo Más Justo. Enseñanza de las Ciencias, N.º Extraordinario, 805-810.

Rodriguez-Marín, F., Fernández-Arroyo, J. & García, J. E. (2014). Las hipótesis de transición como herramienta didáctica para la educación ambiental. Enseñanza de Las Ciencias, 32(3), 303-318. https://raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/287574

Watanabe, G. (2008). Elementos para uma abordagem temática: a questão das águas e sua complexidade. São Paulo. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências – Universidade de São Paulo. IFUSP.

Watanabe, G. & Kawamura, M. R. (2014). Uma educação na perspectiva ambiental crítica, complexa e reflexiva. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 14 (2), 255-264, https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4366